“Think Outside The Box” – Nunca tão perfeito à época.

Há mais ou menos seis meses que estamos reclusos nos lares sem a alternativa efetiva da volta às aulas presenciais. Pandemias sempre fizeram parte da história mundial, como a Peste Negra (século XIV), que matou mais de 200 milhões de pessoas, e as gripes pandêmicas Russa (século XIX) e Espanhola (século XX), que dizimaram milhares de pessoas. Sem dúvida, em todas estas situações houve muitas mortes, frustrações, medos, recomeços, reestruturações e muitas inovações para cada época. A maioria de nós, seres humanos, temos a capacidade de se readequar. Graças a Deus! Nos ambientes – escolar e acadêmico – professores...

Leia Mais

Transição demográfica e outros desafios

                Transição demográfica é um fenômeno estatístico e, empiricamente observável, que aponta fases distintas e experimentadas pela humanidade ao longo da sua história. Até a Revolução Industrial, as sociedades de modo geral produziam muitos nascimentos, mas ao mesmo tempo também muitas mortes em virtude de uma sofrida vida rural, fruto de trabalhos extenuantes, escassa oferta de alimentos, quase nenhum saneamento básico, condições de higiene precárias e uma inexistente medicina como a conhecemos hoje.                 Já, a partir desta revolução do modo de produção e de relações de trabalho, a grande geração de riquezas acabou por ocasionar em maior oferta de...

Leia Mais

Investimento em educação: um modelo de orçamento

A partir do mês de agosto, as escolas (especialmente aquelas da iniciativa privada) iniciam a receber pedidos de informações sobre o processo da matrícula do ano seguinte dos pais de alunos. A decisão pela futura escola ou a troca da atual por outra, envolve muitos aspectos, razão dos contatos telefônicos, bem como pela visitação nas instituições pré-escolhidas. Na intenção de auxiliar as famílias, construímos um texto que oferece orientações para o viés econômico-financeiro do orçamento familiar, com o objetivo de diminuir as incertezas na definição da escola do seguinte ano letivo. Agora, para a análise de outros aspectos, a...

Leia Mais

O PROFESSOR É O COZINHEIRO

           1º Ato             O professor é o cozinheiro (*1). E lá está o professor, ‘’cedito’’ da manhã, entrando na cozinha e já pensando o almoço do dia. Vai direto ao fogão, esquenta a água (e parece que em todo o fogão tem de existir uma chaleira, mesmo que de enfeite, de argila), porque um café pede para início dos trabalhos. Coador, duas colheres cheias de café para um café forte, e água quente escorrendo. Hum! Que cheirinho bom! Pega uma xícara, adiciona e mistura o açúcar, e senta. E sorve. E vai pensando, pensando em como preparar o almoço...

Leia Mais

Como as organizações se movimentam para sobreviver?

Dia desses, e conversando com uma pessoa que reclamava de uma empresa pela demora na entrega do que havia prometido, e para ajudar a que compreendesse a questão, perguntamos para ela sobre os motivos desta morosidade. Mas antes que iniciasse a responder, e para que tivesse um maior entendimento do problema, trouxemos um outro caso, sobre a lentidão dos serviços públicos. Depois de uma rápida análise, concordou que, no que se referia à rapidez do atendimento, o setor privado respondia mais prontamente, quando até serviu de consolo ao reclamante. Qual poderia ser então, num mesmo país, e que fala...

Leia Mais

O professor é o frentista

         Como é que alguém tem o despeito e o atrevimento de igualar o professor a um frentista? Como?             Realmente, o título é provocativo, e pode causar reações negativas. Contudo, permita-se investir algum tempo para seguir o curso do pensamento que construímos abaixo, para perceber um aspecto muito importante na relação entre estes dois importantes profissionais.             Todo aquele que escreve, escreve geralmente sobre o que vê e daquilo que percebe, ou sobre ‘’fatos e coisas’’ como resume Olavo de Carvalho; e todo aquele que fala, obviamente também se manifesta sobre a sua realidade, presente ou pretérita, defendendo...

Leia Mais

Mais um outro fruto da pandemia: os pelejadores da esperança

            Daqui, donde escrevemos, e estamos em Alvorada, e que é uma cidade da periferia da capital gaúcha Porto Alegre, trazemos uma ideia que faz tempo tilintava na cabeça. O tempo promovido por esta pandemia oportunizou-nos escrever algumas linhas sobre este assunto, quando então, destarte, resolvemos retirar do pensamento e aprisionar nos limites deste texto, para a apreciação e crítica públicas. Vamos lá, então.             A nossa cidade, já desde antes de sua constituição político-administrativa em 1965 e quando lá se chamava Passo do Feijó, sempre tinha abastecido as demandas do seu grande e rico município vizinho, entregando produtos...

Leia Mais

A EDUCAÇÃO FÍSICA E A PANDEMIA DO COVID19 – MEXA-SE!!!

O mundo mudou, o nosso “normal” mudou. Agora, usamos máscaras e não se trata de um baile, tampouco brincadeira de polícia e ladrão. Então, tivemos que nos adaptar, mudar os nossos hábitos cotidianos, como: lavar as mãos e usar álcool em gel, deixar os sapatos na porta de casa e cuidar onde tocamos, deixar de abraçar os avós, os familiares, os amigos, as pessoas que amamos com a finalidade de manter o “distanciamento social”. Esta palavra que ficou muito presente nas manchetes de jornais pelo mundo, mas nosso corpo e a nossa mente não podem parar, devem tentar se...

Leia Mais

Da auto-sabotagem para o renascimento

          Existe uma piada conhecida e de gosto muito duvidoso, e que nos incomoda sempre que a temos de ouvir, pois não fala bem de nós, os brasileiros. E novamente agora nos aborrece a falar dela, mas se for melhor compreendida, vale o sacrifício, pois bem pode ajudar a minimizar o estigma negativo que temos de nós mesmos, bem como daqueles que nos atribuem a pecha.             O relato da história, é mais ou menos a seguinte: muito tempo depois da criação do mundo, vieram os americanos a questionar Deus porque tinham de levar uma vida sofrida, com seus jovens sendo levados para tudo que é guerra; os japoneses, que deviam sofrer com tufões e terremotos; os russos, devendo passar frio; os chineses, devendo trabalhar muito e ganhar miseravelmente pouco, … E por último, e porque os brasileiros ficaram quietos, não reclamarando, perguntaram para Deus o motivo, quando lhes devolveu: ‘É verdade, lá não tem problemas, mas olhe o povinho que mora lá!’’             Esta pilhéria de mau gosto, é um acinte, um menosprezo para todos nós que trabalhamos e realmente nos esforçamos para manter o pão-nosso-de-cada dia, e que laboriosamente ainda mantemos este país de pé. E se permanecermos em silêncio, nos auto-sabotamos, concordando com aquilo que ouvimos, e nos atribuem. E não concordando com esta piada, escrevemos estas linhas para incentivar a outros a se levantarem para combater...

Leia Mais

A FILOSOFIA O CONFINAMENTO E AS REDES SOCIAIS

Ao longo dos séculos a filosofia sempre foi um motivo de felicidade ou ódio por parte da humanidade, não havia meio termo. Isso porque uma ciência que nos desconforta e nos faz refletir sobre nossas questões mais interiores e que nos faz questionar nossas certezas para que possamos justamente saber se são certezas ou não, sempre foi um campo minado para o ser humano. Esta é a mesma razão de nossa resistência a aceitar um tratamento psicológico quando necessário, pois nosso psicólogo é pago para nos confrontar com o que já sabemos que está errado em nossa caminhada rumo...

Leia Mais